Instagram has returned invalid data.
Crônicas

Era uma vez uma namorada criativa

Gabriel-Mendes

Que não era lá tão criativa assim.

De início ela adorava comprar presentes, vivia em lojas e gastava o que precisava para achar o presente ideal para quem ama. Doa a quem doer, no caso, o seu bolso. Mas ela nunca se importava. Era bom? Ele ia gostar? Levava. Afinal a surpresa em seus olhos compensava todo o dinheiro gasto.

Ela era como você, como eu há uns anos atrás, que não sabia como era prazeroso o caminho de um presente. Achava que a grande surpresa estaria na entrega e se dedicava ao máximo aquilo. Passava a tarde andando em lojas, shoppings, brechós e vez ou outra encontrava uma boa camisa, um bom tênis e um boné da marca que ele gostava. Esquecia de passar o protetor e chegava queimada no fim da tarde. Esquecia de avisar a mãe, e ouvia algumas reclamações enquanto se deitava.

A noite ela sonhava, imaginava e se perdia na madrugada na espera da entrega.

Acontecia como ela sempre imaginou, um sorriso resplandecente em seu rosto a despertava de qualquer sentimento ruim. A noite era bem paga com todo o carinho que podia ser entregue e com todo o amor que mais cedo estava em seus olhos. Ele abraçava, agradecia e ficava feliz pela lembrança de algo.

Ela era uma namorada, até se tornar criativa.

Certa vez ela decidiu arriscar. Fez com suas próprias mãos o que imaginava ser perfeito. Pesquisou, viu imagens e alguns tutorias em vídeos e fotos. Achou que aquilo seria novidade e viu a novidade em seu olhar cansado. Demorou mais do que demoraria se comprasse um presente, mas sentia algo diferente. Uma satisfação por todo aquele tempo gasto. Um desejo que antes estava apagado. A  realização de ter feito algo para alguém. Ela estava feliz por si mesma e animada com o próximo dia.

Naquele momento ela nem imaginou se ele ia ou não gostar, ela sentia que isso ia acontecer. Sentia que o tempo investido iria trazer mais satisfação que os outros. Ela viu isso e tirou prova assim que lhe entregou o pequeno cartãozinho cheio de colagens e doces. Era algo simples, mas completo. Como o amor que sentia por ele.

A reação não foi à esperada. Foi melhor. Ela viu surpresa em seu olhar. E felicidade. E admiração. E ela sentiu isso com suas palavras. Com aquele gaguejar de frases soltas. Aquele amontoado de sentimentos todo atrapalhado e trabalhado em um abraço. Apertado. Profundo. Fundo. De tirar o ar do coração que, como ela, estava pequeno perto dele.

Foi a primeira vez que ela viu todo o sentimento dele solto. Foi a primeira vez que ela notou seu jeito sem graça e que, na graça da coisa, fez do sujeito seu presente.

Não importava quantos mimos ela passaria a criar naquele momento. Se seria milhares ou só mais um. Se voltaria sempre com aquilo ou só faria em datas especiais. Se ele se cansaria ou enjoaria. Pra ela tudo valeu a pena depois daquele primeiro dia. Não importava mais o que acontecesse, aquele dia estava marcado em sua memória. O dia em que ela virou uma namorada criativa.

Mais dicaspara você!
O melhor filme de todos
O que eu gosto em você
Amor requer discussão e não brigas


  • Nicolli 28 de janeiro de 2016

    Simplesmente lindo, parabéns!!

  • Desirée 28 de janeiro de 2016

    Que lindo, amei, parabéns!!

  • Gabi Vieira 29 de janeiro de 2016

    Esse texto deveria ser de alguma maneira o texto padrão daqui! E deveria ficar exposto logo no início do blog. (:

    • Ticia 29 de janeiro de 2016

      Nossa Gabi!! Super concordo com você!!! Kézia você é demaaaaaaais!! Amei s2

  • Míriam Silva 29 de janeiro de 2016

    Que lindo!
    Realmente, o que fazemos é muito melhor do que o que se compra. A não ser que seja algo que ele precise.
    Eu amo colagens, colorir, preparar cartõezinhos.
    Eu acho que expressa melhor nossos sentimentos.
    Obrigada ao namorada criativa. São maravilhosas as publicações, eu amo.
    Bjos

  • Karol 01 de fevereiro de 2016

    E quando seu namorado não faz nada pra você? Quando ele não faz surpresa nenhuma? Eu aprei de fazer por não ser retribuída :/

    • Ani 06 de fevereiro de 2016

      Pois é, eu passei pelo mesmo, sinto todo o amor é carinho do meu namorado, mas sempre me esforço pra encher ele de mimos, e gostaria muito se uma surpresinha de vez em quando(só pra saber como é hahah) já conversei com ele e ele diz que é o jeito dele… No começo tentei entender(tudo bem, todo mundo tem seu jeito) mas poxa sempre sei o que vou ganhar de presente isso é tão chato, eu também não era assim de fazer coisas, esse também não era o meu jeito… Mas eu tentei e até gostei, pq sei que importa, uma surpresa, um presente único feito com as próprias mãos, emociona e eu também quero me emocionar…. Aí eu pergunto, faço o que?
      Hahahah
      Beijos

    • Marcele Campos 07 de fevereiro de 2016

      Awn, menina, um dos princípios do amor é justamente não esperar retribuição. Não que a gente não possa querer ser correspondida, mas doar criando expectativa da troca não é saudável pra ninguém. Eu faço uns mimozinhos pro meu namorado de vez em quando (algumas surpresinhas, cartinhas, bombons, textão), adoro ver a cara de bobo dele (isso pra mim é a maior retribuição) pq eu gosto de fazer, pq eu fico feliz em vê-lo feliz… Jamais vejo ele escrevendo cartinhas pra mim (rs, não é dele fazer esse tipo de coisa), mas ele é atencioso, companheiro, atende minhas necessidades, está sempre preocupado comigo, perguntando como foi meu dia…são nessas coisas que vejo que ele retribui. A questão é abrirmos os olhos para perceber COMO eles retribuem o nosso carinho. Agora, se não retribuem de jeito nenhum, não acariciam, não demonstram, estão sempre distantes, repensem… É hora de DR.